Luciana Magno | Brasil

Artista contemplada com o PRÊMIO DE RESIDÊNCIA DELFINA_VIDEOBRASIL na Delfina Foundation (Londres, Reino Unido)

É artista, graduada em artes visuais e tecnologia da imagem pela Universidade da Amazônia, Belém, e mestre em artes pela Universidade Federal do Pará, na mesma cidade. Trabalha com performance, frequentemente direcionada para fotografia e vídeo, objeto e website. Com uma pesquisa focada no corpo e em ações performáticas, a artista aborda questões politicas, sociais e antropológicas, relacionadas ao impacto do desenvolvimento da região amazônica. A integração do corpo à paisagem e ao entorno é um elemento determinante e recorrente em suas obras . Suas obras já foram exibidas no Centro Cultural Banco do Nordeste, Fortaleza (2014); no Arte Pará, Museu de Arte do Estado do Pará, Belém (2014), onde foi artista premiada; no Museu de Arte do Rio de Janeiro (2013). Foi ganhadora da 10ª edição do Programa Rede Nacional Funarte Artes Visuais com o projeto Telefone Sem Fio, que cruzou o país do Oiapoque ao Chuí por rodovias e hidrovias, a partir do qual se constituiu um arquivo de vídeo e áudio acerca da diversidade cultural, histórica e geográfica do Brasil. Vive e trabalha em Belém.

Trans Amazônica | 2013, vídeo

Com uma pesquisa focada na performance, Luciana Magno desenvolve investigações nas quais a paisagem integra o corpo e o corpo integra a paisagem. Seu cabelo – que não corta há mais de dez anos – é elemento recorrente em suas ações. Em Trans Amazônica, assume uma postura que remete àquela em que indígenas são enterrados, e se posiciona num trecho inacabado da rodovia Transamazônica. A obra serve de suporte para refletir sobre a causa indígena e sua invisibilidade ante as estruturas de poder. 

artistas selecionados pelo edital de obras