Haroon Gunn-Salie | África do Sul

Artista contemplado com o PRÊMIO SP-ARTE/VIDEOBRASIL

É artista visual, bacharel em Escultura pela Michaelis School of Fine Art, University of Cape Town, África do Sul, 2012. Sua prática artística é baseada na colaboração, no diálogo e na troca com indivíduos ou comunidades, buscando traduzir suas narrativas em intervenções artísticas e instalações. Em Witness (2012), sua exposição de graduação, apresentou um conjunto de obras que lançava luz sobre as remoções forçadas durante o período do apartheid, trabalhando com residentes do District Six, área central da Cidade do Cabo onde tais remoções ocorreram. Teve suas obras expostas na 56ª Bienal de Veneza, Itália (2015); no Vitra Design Museum, Alemanha (2015); no Guggenheim de Bilbao, Espanha (2015); no New Church Museum, Cidade do Cabo, África do Sul (2014); na Goodman Gallery, Johanesburgo, África do Sul (2014 e 2013); na Centre for African Studies Gallery, Cidade do Cabo (2013); entre outros. Vive entre Johanesburgo e Belo Horizonte (Brasil).

Sunday Best | 2014, escultura

Embora não tenha grandes dimensões, Sunday Best [Roupa de domingo] pode ser entendido como um monumento; ou, talvez, um antimonumento. A obra é um tributo do artista aos passeios que fazia pelo centro da Cidade do Cabo aos domingos, na infância. Gunn-Salie recria um trabalho originalmente produzido pela escritora Susan Lewis, aludindo aos passeios abruptamente extintos quando o bairro de District Six, conhecido por sua coesa comunidade multicultural, teve a população negra removida por um decreto do apartheid. 

artistas selecionados pelo edital de obras