Bianca Baldi | África do Sul / Alemanha

É artista visual. Em seu trabalho, fotografia, vídeo, texto e publicação, frequentemente exibidos através de instalações, operam com o material residual das narrativas hegemônicas da colonização africana na forma de objetos e imagens deslocados de seu contexto usual. Ao investigar as relações destes com o imaginário e a dimensão simbólica que lhes são próprios, a artista abre um campo de indeterminação que põe em perspectiva o discurso civilizatório oriundo da metrópole. Criada em KwaZulu Natal, África do Sul, estudou na University of Cape Town, Cidade do Cabo, África do Sul e na Städelschule, Frankfurt am Main, Alemanha. Participou das seguintes exposições: Open House, Kunstverein Braunschweig, Alemanha (2015); Sightings, KZNSA, Durban, África do Sul (2015); 8ª Bienal de Berlim, KW Institute for Contemporary Art, Alemanha (2014); Zero Latitude, Goethe Institut, Johannesburg, África do Sul (2014) . Vive e trabalha entre a Europa e Durban, África do Sul.

Zero Latitude | 2014, vídeo

No século 19, o avanço científico e tecnológico europeu promoveu uma corrida ao Novo Mundo para identificar nichos de mercado e recursos naturais que acelerassem o desenvolvimento do sistema capitalista. A artista confronta esse passado colonial com a dinâmica pós-colonialista, articulando uma política que se materializava no deslocamento real e outra que se move virtualmente, por meio da carga simbólica atribuída aos bens de consumo nas sociedades pós-industriais da atualidade. 

artistas selecionados pelo edital de obras