Beto Shwafaty | Brasil

É artista visual e pesquisador. É mestre em Artes Visuais e Estudos Curatoriais pela Nuova Accademia di Belle Arti, Milão, Itália, 2009, além de ter integrado o grupo de Simon Starling na Städelschule, Frankfurt, Alemanha, em 2011. Atua com vídeo, instalação, objeto, escultura e impressos. Desenvolve pesquisas sobre espaços urbanos e territórios em disputa através de narrativas históricas e visuais, nas quais procura conectar, formal e conceitualmente, questões políticas, sociais e culturais. Opera no limiar entre o documental e o ficcional recorrendo a diversas linguagens: de situações espaciais e esculturais, do design e material impresso a estratégias baseadas em pesquisas. Em seu trabalho produz dispositivos capazes de articular a complexidade de certas dinâmicas e questões referentes à representação, validação e negociação no interior de estruturas socioculturais. Exibiu suas obras no Paço Imperial, Rio de Janeiro (2014); Zacheta Gallery, Varsóvia, Polônia (2013); 33º Panorama de Arte Brasileira, Museu de Arte Moderna de São Paulo, Brasil, (2013); 9ª Bienal do Mercosul, Porto Alegre (2013); X Bienal de Arquitetura de São Paulo (2013); Mythologies, Cité des Arts, Paris, França (2011); UTRECHT MANIFEST — Bienal de Design Social, Holanda (2009); entre outras exposições. Vive e trabalha em São Paulo. 

El Museo Imposible de las cosas vivas Departamento de Integración pan-continental (área de contacto triangular) | 2014, instalação
A instalação se desdobra na forma de um emaranhamento discursivo e visual sobre a disputa territorial e marítima entre Chile e Peru. Como em uma ação arqueológica, Shwafaty reúne imagens, documentos e outros itens relacionados ao conflito; ao mesmo tempo, mostra-se aberto às estratégias ficcionais. Assim, por meio de uma prática artística baseada em processos de pesquisa e na exploração de arquivos, o artista parte da história para esmiuçar relações construídas no passado e pensar o presente.

artistas selecionados pelo edital de obras